Após a grande noite dos Emmy para a série Breaking Bad - Rutura Total (e falsos rumores de uma sexta temporada), pus-me a pensar no programa e na forma como resultou tão bem em tantos níveis diferentes. A história principal mantinha-me inarredável, mas também gostava do subtexto, repleto de importantes lições que poderiam, facilmente, aplicar-se à nossa utilização e adoção de tecnologia. O melhor desta série era que essas pérolas de sabedoria podiam vir de qualquer um. A título de exemplo, apresento-lhe uma observação de Mike, um antigo polícia que se tornou no mau da fita, quando discutia os erros que tinha cometido na vida com a personagem principal, Walt. "Optei por um meio-termo, quando deveria ter ido até ao fim. Não voltarei a repetir esse erro. Acabaram-se os meios-termos, Walter." – Mike

Para mim, esta foi uma das melhores cenas numa série com alguns dos melhores momentos da história da televisão. Naturalmente, Mike não está sozinho. Todos nós somos culpados de termos optado por meios-termos em algum ponto das nossas vidas. Todos tomamos atalhos quando:

  1. consideramos uma tarefa pouco importante 
  2. percebemos que ela é importante, mas não nos apetece investir tempo/esforço/dinheiro para que o esforço seja completo ou
  3. não nos apercebemos da importância da tarefa e tratamo-la como insignificante

Com o aumento das casas conectadas, muitos de nós, já muito ocupados, deixámos que as nossas redes domésticas caíssem neste terceiro grupo. Para garantir que compreende a importância que adquiriu a rede doméstica, considere estes valores do relatório Cisco Virtual Networking Index:
  • 2/3 de todos os tablets não possuem uma conexão celular e só podem ser usados através de WiFi
  • 45% de todos os dados móveis são transferidos por “offload” (ou seja, acedidos via WiFi e não através da rede celular)
  • A taxa de crescimento anual composta para tráfego de dados móveis até 2018 varia entre uns baixos 50%, na América do Norte e Europa Ocidental, e uns altos 70%, no Médio Oriente e África
Considerando tudo isto, acho chocante que a grande maioria das redes domésticas e dispositivos conectados atuais não estejam protegidos; o exemplo flagrante de um meio-termo. Só posso imaginar que esta situação ocorreu porque as pessoas não reconheceram o papel fulcral que a sua rede doméstica desempenha nas suas vidas quotidianas e como é fácil adicionar a proteção necessária para garantir que o seu acesso está protegido durante um corte de energia.

Independentemente da forma como usa a sua rede doméstica (para fazer streaming de filmes, ativar um telefone com conexão IP, trabalhar remotamente, jogar, entre outros), é vivamente recomendado que a proteja com uma bateria de emergência, que lhe permitirá ter tempo de funcionamento suficiente para atravessar cortes de energia prolongados. Considera-se que trinta minutos será o tempo mínimo necessário, mas poderá precisar de muito mais, consoante o local onde vive e a forma como usa a sua rede.

Para melhor avaliar as suas necessidades específicas, experimente a ferramenta de autoavaliação da APC by Schneider Electric (aqui). Ou clique aqui para saber mais sobre as mais modernas soluções com longos tempos de funcionamento (aproximadamente, 4,5 horas) para fornecer energia ao equipamento da sua rede doméstica.

Há muita coisa a acontecer na sua rede WiFi doméstica; por isso, independentemente do modo como decide protegê-la, lembre-se de ir até ao fim, sem meios-termos.