De acordo com o instituto nacional de meteorologia dos EUA, a época dos furacões começa a 15 de maio na costa do Pacífico e a 1 de junho na costa do Atlântico – dentro de algumas semanas. Dado os inúmeros eventos meteorológicos que tivemos nos últimos anos, incluindo o Furacão Sandy, esta parece ser uma boa altura para se certificar de que o alojamento do seu centro de dados está em boas condições e pronto para aguentar um corte de energia.

Um elo essencial na cadeira da fiabilidade são os seus sistemas de fonte de alimentação ininterrupta (UPS). Quando a alimentação é interrompida, é a UPS que apoia os seus sistemas de TI e arrefecimento até o seu gerador de emergência se ativar. Em alguns casos, pode estar a confiar apenas nas UPS para o apoiarem durante um corte de energia.
Assim sendo, precisa de garantir que as suas UPS estão à altura da tarefa. E, pelos meus cálculos, muitas delas não estão.

A nível mundial, estão instaladas mais de 20 milhões de UPS monofásicas da APC. Muitas delas são modelos antigos e, de acordo com as minhas estimativas, mais de um milhão de sistemas Smart-UPS precisam, neste momento, de uma substituição de bateria. Tal como as baterias dos automóveis, as baterias das UPS não duram para sempre. Recomendamos a sua substituição a cada 3 a 4 anos, em função de diversas condições. Uma delas é a temperatura – se estiver demasiado calor, a bateria irá gastar-se mais rapidamente.

Todas as UPS da APC by Schneider Electric têm uma luz indicadora de aviso de bateria fraca, mas, muitas vezes, os sistemas não estão à vista, eventualmente escondidos atrás de uma secretária, num bastidor ou numa sala de servidores onde a luz a piscar se mistura com tantas outras. Demasiadas vezes, os donos desses sistemas UPS não fazem ideia de que a bateria pode estar a precisar de substituição.

A exceção são os que possuem UPS geridas, como as Smart-UPS da APC by Schneider Electric. Muitos modelos têm um grande display LCD alfanumérico que fornece atualizações de estado em tempo real e emite alertas quando a bateria está a ficar gasta.

Estes dispositivos também têm uma Smart Slot, onde os clientes podem instalar a placa de gestão via rede (NMC) da APC, que permite uma monitorização e controlo seguros da UPS através de um browser da Web ou qualquer sistema de gestão que suporte o SNMP. Pode gerir remotamente os dispositivos, a partir de uma central – ou encarregar um dos seus parceiros para que o faça por si. Então, será alertado de problemas como o desgaste da bateria e terá um maior controlo sobre o consumo de energia e condições ambientais, com a capacidade de reiniciar dispositivos bloqueados e agendar a desativação de dispositivos conectados ou UPS completas durante um corte de energia prolongado ou fora das horas de expediente.

Também é boa ideia fazer um inventário periódico de quaisquer alterações ao seu ambiente de TI nos anos que decorreram desde que as suas UPS foram instaladas. Há boas probabilidades de a sua carga de TI ter aumentado, o que significa que pode ser necessária uma UPS maior ou baterias e unidades adicionais para suportarem o aumento da carga e manterem o tempo de funcionamento pretendido.

Também pode notar que algum equipamento se tornou mais crítico. Por exemplo, se utilizar aplicações e recursos baseados na cloud, o equipamento de rede que fornece uma ligação à cloud torna-se, subitamente, muito mais importante para a produtividade da empresa. Para garantir a continuidade, escolha uma UPS que lhe proporcione tempo de funcionamento suficiente durante um corte de energia prolongado.

Esperamos que esta época de furacões seja moderada, mas não podemos contar com isso. Com um prazo de apenas algumas semanas até ao início da época, está na hora de verificar as suas UPS de forma abrangente e certificar-se de que elas conseguem resistir às surpresas que a Mãe Natureza nos reserva.