"Oh, se estas paredes falassem"… quem ainda não o desejou?  Bom: agora, elas podem falar!  E vão contar-lhe coisas que precisa saber! A sua casa diz-lhe que está um estranho à sua porta; com o toque de um dedo, pode ver que é a sua sogra, que vem entregar-lhe um pacote. A sua casa não vai dizer-lhe se ela lhe traz um jantar bem quente, mas pode abrir-lhe a porta remotamente! (ou não…) 


São 4 horas da tarde e a sua casa diz-lhe que a sua filha adolescente ainda não regressou da escola. Com um texto, fica aliviado ao saber que ela não está com aquele rapaz com quem namora recentemente, mas a receber uma aula particular na escola. 


A sua casa diz-lhe que o detetor de fumo se ativou. Remotamente, pode determinar em que divisão isso aconteceu e, telefonando aos seus filhos, aprender mais uma lição sobre como pode estar correto usar uma torradeira para fazer pizza. 


Saiu de casa para umas férias de 2 semanas, mas não chegou a desligar o ar condicionado. Enquanto descalça os seus chinelos e se recosta na espreguiçadeira, pode chamar uma app no seu telefone e desligar remotamente o AC, poupando centenas de dólares em eletricidade…AGORA pode desfrutar das suas férias! 


Esqueceu-se de ligar o aquecimento durante a sua escapadinha de inverno, depois de ir esquiar durante o fim de semana. Regule o aquecimento remotamente para garantir que os tubos não congelam.

 

Isto já não são conceitos futuristas de uma casa para os Jetsons, mas realidades já disponíveis numa galáxia perto de si. Esta tecnologia está a ser instalada em cada vez mais casas como a sua. 


Os recentes avanços tecnológicos tornaram-nos mais viáveis que nunca. Tudo começa com o facto de a rede estar mais rápida e possuir uma maior largura de banda do que nunca. Além disso, circuitos/sensores de deteção menos dispendiosos e mais inovadores, combinados com a diminuição dos custos em sistemas rádio sem fios, permitiram que cada vez mais produtos fossem conectados. A geração atual espera estar "conectada", não só a sites de redes sociais, mas também a dispositivos com que interajam diariamente.  A proliferação destes dispositivos é permitida pelo cómodo e omnipresente smartphone, ao qual todos ficámos presos, como a uma trela virtual… ou uma cerca invisível. Os nosso smartphone torna-se numa janela, o nosso painel de controlo único, através do qual podemos monitorizar, gerir e controlar os nossos dispositivos.

Os tipos de dispositivos conectados são inúmeros:

  • tablets
  • televisões
  • consolas de jogos
  • fechaduras
  • eletrodomésticos (frigoríficos, máquinas de lavar/secar)
  • termóstatos
  • detetores de fumo
  • câmaras de vídeo
  • interruptores
  • lâmpadas
  • tomadas
  • etc.

Em 2008, já existiam mais dispositivos conectados do que pessoas no mundo! De facto, a Gartner prevê que, em 2020, existam mais de 26 mil milhões de dispositivos conectados!  Através da Internet of Things (IoT) todos estes dispositivos não só são conectados, mas também vão interagir entre si, assim reforçando as nossas experiências pessoais.

Independentemente dos dispositivos que temos ou da forma como escolhemos usar estes acessórios "conectados", existe um denominador comum para todos eles: eles têm de estar CONECTADOS para cumprirem plenamente o seu propósito.  Em muitos casos, as consequências da falta desta conexão pode ser crítica (alarmes, segurança); noutros, ela pode ter impacto na produtividade; e, virtualmente, em todos os casos, poderá frustrar uma geração que espera uma satisfação imediata e tem pouca tolerância para com a inexistência de conectividade. Por isso, a ligação subjacente, a estrutura comum, por assim dizer, é a rede e a sua disponibilidade. Se esta rede falhar (perder potência ou ficar bloqueada), perdemos o controlo, a gestão e a comodidade em que acabámos por confiar.  Em sua casa, esta rede é, tipicamente, o seu router sem fios e algum outro aparelho do seu ISP (modem, routers, etc.).


As tempestades e cortes de energia podem facilmente cortar a sua ligação de rede, precisamente quando precisa mais dela. Perder o acesso à internet corta a nossa linha de comunicação e, mais importante, impede-nos de contactarmos amigos e familiares numa situação eventualmente perigosa. A melhor forma de se manter conectado à internet durante os cortes de energia é apoiando o seu equipamento doméstico de ligação à rede e carregando os seus dispositivos inteligentes com uma fonte de alimentação ininterrupta (UPS). As Back-UPS da APC by Schneider Electric mantêm a sua rede ativa durante horas e carrega os seus dispositivos móveis conforme necessário. A BGE70 pode proporcionar horas de funcionamento para dispositivos de baixo consumo, como hubs e routers, e a função watchdog da BG500 volta a ligar-se automaticamente à internet, reiniciando os dispositivos de rede caso detete uma perda de conectividade da rede, situação muito comum se ficar bloqueada devido a demasiadas conexões ou se o seu ISP alterar o endereço IP.


Independentemente de querer manter-se conectado ininterruptamente por motivos pessoais ou profissionais, esse desejo tornou-se parte do quotidiano e saber que o pilar da rede em sua casa ou pequena empresa está sustentado proporciona uma sensação de conforto.