Você já virtualizou sua sala do servidor. E agora? Desafios comuns enfrentados por empresas pequenas e médias, e como resolvê-los

Embora as empresas pudessem virtualizar servidores para consolidar seus espaços de TI desde há muitos anos, a adoção generalizada dessa tecnologia só ocorreu nos últimos anos. No entanto, muitas empresas de menor porte têm dificuldades para definir por onde começar para projetar, manter e otimizar adequadamente a infraestrutura de TI ao adotar a virtualização. Há muitas informações sobre como atingir esses objetivos em grandes data centers, mas quase não há indicações para pequenas e médias empresas. Ter orientações claras é ainda mais importante para as pequenas e médias empresas, pois elas têm menos recursos e experiência para projetar e gerenciar adequadamente a sua infraestrutura de TI. Além disso, a infraestrutura de TI de uma pequena ou média empresa não só a conecta com seus dados na nuvem, mas é uma parte crítica para a continuidade e sucesso do negócio.

Neste artigo serão analisados os desafios comuns enfrentados por estas empresas quando tentam trabalhar com eficiência energética e maximizar as operações em salas de cabeamento e do servidor; também são propostas soluções e melhores práticas para ajudá-las a superar esses desafios.

Desafio Nº 1: Proteger e organizar os servidores e equipamentos de rede consolidados e virtualizados

As pequenas e médias empresas que virtualizaram uma parte dos seus servidores e processos, ou todos eles, deram um passo fundamental para a maior eficiência da sua infraestrutura de TI, mas, ainda que após a virtualização restem menos equipamentos físicos, esses equipamentos são ainda mais importantes do que antes e precisam de proteção. Além disso, organizar os equipamentos de TI em um único lugar pode levar a complicações de disponibilidade.

Solução: As pequenas e médias empresas podem garantir que os servidores críticos funcionem em condições ambientais adequadas implementando gabinetes de racks projetados para ambientes de servidores e equipamentos de rede. Esse tipo de gabinete oferece funções como o gerenciamento de cabeamento e a distribuição de energia, facilitando uma melhor organização, reduzindo a margem de erro humano durante a resolução de problemas e ajudando a isolar as correntes de ar quente das de ar frio.  Ainda, as pequenas e médias empresas deveriam manter a disponibilidade dos equipamentos locais, protegendo-os contra cortes de tensão e contra ameaças físicas, ambientais e de segurança com PDUs e nobreaks (fornecimento de energia ininterrupta). Alguns tipos de PDU permitem personalizar o controle da energia e o monitoramento ativo para restringir o uso não autorizado de tomadas de saída individuais e evitar a sobrecarga de circuitos. Os nobreaks oferecem autonomia quando o fornecimento de energia falha, mantendo os equipamentos de TI e de conexão críticos em operação.

Desafio Nº 2: Desligar os servidores virtuais de modo seguro

Cada vez fica mais fácil implementar e gerenciar ambientes virtuais, mas eles ainda dependem do fornecimento de energia e refrigeração críticos que integra a infraestrutura de TI e que podem ser afetados por cortes de tensão.

Solução: Em condições ideais, uma instalação de TI deveria incluir um gerador ou módulos de baterias com autonomia estendida em um nobreak para maximizar a autonomia e continuar operando durante cortes prolongados.  Apesar disso, se nenhuma dessas soluções estiver disponível, pode ser muito útil ter um software para desligar sistemas e equipamentos pré-configurados, como nobreaks ou PDUs, para proteger os servidores, as aplicações e os dados. Procure soluções com funções de gerenciamento remoto e que enviem notificações e alertas proativos sobre problemas de energia, cortes de tensão e vida útil das baterias.

Desafio Nº 3: Implementar equipamentos de TI e de rede fora de ambientes de TI dedicados

Os espaços não dedicados que muitas pequenas e médias empresas usam para os seus equipamentos de TI, podem ser insuficientes para novas implementações computacionais.

Solução: Usar gabinetes de racks especialmente projetados para implementar equipamentos em espaços não dedicados pode oferecer as mesmas funções em relação à energia, refrigeração e proteção disponíveis em um espaço de TI dedicado. Os gabinetes de racks com ventiladores e isolamento acústico que incluem nobreaks e oferecem possibilidades de gerenciamento de cabeamento, fornecem energia de reserva e funções de monitoramento remoto, ao mesmo tempo em que garantem uma implementação limpa e organizada fácil de instalar e gerenciar.

Desafio Nº 4: Minimizar o uso do espaço físico

Não é fácil proteger os equipamentos se não há espaço físico suficiente no piso; este é um desafio que muitas pequenas e médias empresas enfrentam.

Solução: As soluções de montagem em parede são ideais para ambientes de TI sem espaço físico livre no piso. Procure soluções projetadas para suportar facilmente todo tipo de equipamentos e com trilhos de montagem reversíveis que oferecem diversas opções de instalação. Os gabinetes pivotantes facilitam o acesso a equipamentos para sua manutenção e instalação. Em condições ideais, com um rack de 13 U de altura, vai possibilitar o espaço exato para os equipamentos distribuídos que mantêm um edifício conectado.

Desafio Nº 5: Aproveitar o espaço ao máximo: instalar equipamentos de TI em espaços reduzidos e ampliar a capacidade da sala de servidor

Os racks menores limitam a quantidade e disponibilidade dos equipamentos que podem ser instalados na sala de gerenciamento de rede, enquanto os equipamentos grandes são problemáticos e inadequados para cantinhos estreitos e salas pequenas, como as dos espaços de TI das pequenas e médias empresas.

Solução: Utilize soluções flexíveis de baixo custo que considerem uma rápida escalabilidade para aproveitar o espaço ao máximo, independentemente de variáveis como formato ou superfície. A implementação de racks discretos de dois postes e equipamentos de monitoramento permite otimizar a organização e elimina a necessidade de entrar em espaços de TI lotados. Os gerenciadores de cabeamento verticais também ajudam a manter o cabeamento ordenado, simplificando seu roteamento e instalação. O software de monitoramento remoto oferece uma visão centralizada da utilização dos equipamentos instalados para planejamento da capacidade e otimização.

Desafio Nº 6: Otimizar o espaço em uma sala de servidores consolidados

Consolidar equipamentos sem reprojetar nem modificar o espaço de TI pode gerar aumentos desnecessários de custos relacionados à energia e refrigeração.

Solução: A implementação de uma arquitetura de sala facilmente escalável permite aproveitar os espaços que já incluem funções de refrigeração. Uma arquitetura simples e repetível para instalações por incrementos de 3 kVA pode oferecer proteção de energia por rack mediante nobreaks e tomadas de saída suficientes para hospedar uma combinação de servidores e equipamentos de rede.

Desafio Nº 7: Controlar os custos trabalhando com salas de servidores e de gerenciamento de rede pequenas

Garantir a proteção, a refrigeração adequada e a disponibilidade dos equipamentos de TI pode ser oneroso, especialmente para as pequenas e médias empresas, que não têm grande orçamento para alocar as salas de gerenciamento de rede.

Solução: Existem soluções de rack por valores como US$400 que podem gerenciar equipamentos para permitir a refrigeração ótima e que são fáceis de instalar. Instalar racks de estrutura aberta de quatro postes pode ser uma forma simples de manter os equipamentos organizados e sem ocupar espaço físico no chão.

Seguindo estas práticas e simples orientações, as pequenas e médias empresas que enfrentam desafios associados à implementação de equipamentos de TI em espaços reduzidos aumentarão sua eficiência, agilizarão as operações e terão maior proteção para seus equipamentos. Além disso, a redução do risco de períodos de inatividade também permitirá aumentar a rentabilidade comercial e melhorar a experiência do cliente.