Após a grande noite de Breaking Bad na premiação dos Emmy (e do falso boato sobre uma sexta temporada), fiquei pensando na série e no seu bom funcionamento em diferentes níveis. A história principal manteve-me cativo, mas também desfrutei o subtexto que se completava com importantes lições, facilmente aplicáveis ao modo com que usamos e adotamos a tecnologia. O genial da série era que esses sábios ensinamentos podiam provir de qualquer uma das personagens. Por exemplo, incluo aqui uma observação do Mike, um ex-policial que se tornou vilão, numa conversa com o Walt, o personagem principal, sobre os erros que cometeu na sua vida. "Eu me contentei com uma meia-medida quando deveria ter ido até o fim. Não tornarei a cometer esse erro. Chega de meias-medidas, Walter." – Mike

Para mim, essa foi uma das melhores cenas de uma série cheia de algumas das mais incríveis passagens da história da TV. Claro que Mike não é o único que cometeu esse erro. Todos somos culpados por nos contentarmos com meias-medidas em algum momento da nossa vida. Todos tomamos atalhos quando:

  1. acreditamos que a tarefa não é importante; 
  2. sabemos que é importante, mas não queremos investir o tempo, esforço ou dinheiro para fazer tudo o necessário; ou
  3. não percebemos como a tarefa é importante e a tratamos como se ela não tivesse importância.

Com o crescimento do número das casas conectadas, muitos de nós –que já estamos realmente ocupados– deixamos que as nossas redes domésticas sofram por causa do terceiro cenário. Para você entender como a rede doméstica é importante, considere algumas informações tomadas do Virtual Networking Index da Cisco:
  • 2/3 dos tablets não têm conexão a uma rede celular e só podem ser usados via Wi-Fi.
  • 45% dos dados móveis são descarregados via WI-FI, e não através da rede celular.
  • A Taxa de Crescimento Anual Composta para o tráfego de dados móveis até 2018 oscila entre um valor inferior a 50% na América do Norte e na Europa Ocidental e um valor superior a 70% em Oriente Médio e África.
Considerando tudo isto, acho alarmante que a grande maioria das redes e dispositivos domésticos não tenha proteção; um exemplo claro de meias-medidas. Só posso imaginar que esta situação se apresenta porque as pessoas não perceberam como a função da rede doméstica é importante na vida cotidiana, nem como é fácil incorporar a proteção necessária para garantir que o acesso a essa rede esteja protegido durante uma interrupção no fornecimento elétrico.

Independentemente do uso que você der à sua rede doméstica (assistir a filmes, usar telefones IP, trabalhar em casa, jogar ou qualquer outro), é muito recomendável que a proteja com bateria reserva, a qual vai lhe oferecer tempo suficiente para manter-se conectado durante cortes de energia prolongados. Geralmente, considera-se que o tempo mínimo necessário é de 30 minutos, mas pode acontecer que você precise de muito mais autonomia, em função de onde mora ou de como usa a rede.

Para avaliar melhor as suas necessidades específicas, teste a ferramenta de autoavaliação da APC by Schneider Electric (aqui). Ou clique aqui para saber mais sobre soluções avançadas com autonomia estendida (aproximadamente, 4,5 horas) para alimentar os equipamentos de rede da sua casa.

Muita coisa circula por sua rede Wi-FI doméstica em diferentes horários; por isso, não importa como você decida protegê-la, mas lembre-se de chegar final do caminho e não se contentar com meias-medidas.