No Aeroporto Bob Hope, fornecer alimentação de emergência fiável não é brincadeira

Quando pensa nos tipos de ambientes de centros de dados onde a disponibilidade é essencial, é muito provável que os aeroportos surjam no topo da lista. Quando tem aviões no ar que precisam da ajuda dos controladores de tráfego aéreo em terra para aterrarem em segurança, é fácil perceber por que não se pode arriscar que um corte de energia desligue os sistemas que suportam esses sistemas de controlo.

Mas não é só o centro de dados que precisa de alimentação constante, afirma Rudy Barrow, Diretor de TI no Aeroporto Bob Hope, em Burbank, Califórnia, que serve cerca de 4 milhões de passageiros por ano. “O nosso sistema de iluminação das pistas tem de conseguir funcionar durante qualquer tipo de corte de energia”, refere.

Da mesma forma, todos os equipamentos, desde o serviço de bombeiros do aeroporto aos desfibrilhadores de montagem na parede, precisam de uma alimentação fiável. “A última coisa que queremos é ter uma situação em que é necessário salvar vidas e termos de dizer ‘Lamentamos, a bateria deste equipamento morreu’”, afirma.

Para agravar o problema, algumas partes do aeroporto estão dentro dos limites da cidade de Los Angeles, pelo que alguma da sua energia é fornecida pelas redes de distribuição elétrica de LA. “Poderíamos ter reduções de tensão oscilantes ou problemas esporádicos, em que um pico de tensão ou uma redução de tensão temporária poderia tornar-nos inoperacionais”, indica Barrow.

Para abordar esta questão, o aeroporto possui geradores de emergência, mas também confia nas unidades UPS da APC by Schneider Electric. “Os produtos [UPS] da APC têm sido um elemento sólido para nós, pois permitem uma transferência grande e limpa para os nossos geradores”, conta. Em alguns casos, as UPS também processam energia por períodos mais longos, como no caso de existir um problema num gerador.

“É bom saber que tenho na algibeira a energia e a fiabilidade constantes de um produto APC”, afirma Barrow. “Não as trocaria por nada, nem penso vir a fazê-lo.”

Barrow afirma que o aeroporto usa, principalmente, UPS Symmetra. A empresa também usa modelos de UPS mais pequenos para apoiar grupos de trabalho individuais, como o departamento de contabilidade.

E, depois, existem os requisitos que, claramente, não pertencem ao setor de TI. Para além da iluminação das pistas, eles incluem a alimentação de emergência para as estruturas de estacionamento e vários espaços de ambiente controlado. “[Para tal] recorremos a algumas unidades [UPS] 1U montadas em bastidor, mais pequenas, e tudo o mais, incluindo protetores contra picos de energia”, informa Barrow. “O nosso equipamento é praticamente 100% APC.”

Ao longo dos seus 20 anos de carreira no setor de TI, afirma que trabalhou com diversas agências governamentais e empresas que recorriam à abordagem de “tentativa e erro” com diferentes soluções de emergência. “Mas o porto seguro a que recorremos em quase todas as empresas com que lidei são os produtos APC”, atesta. “Nunca tivemos nenhum outro problema, que não a necessidade de substituição das baterias. Nunca um pico de energia danificou qualquer um dos nossos equipamentos, nem passámos por um ciclo de alimentação em que não tivéssemos energia suficiente.”

Assista ao meu vídeo com a entrevista a Barrow para saber mais sobre os requisitos de alimentação no aeroporto Bob Hope e de que forma as UPS da APC by Schneider Electric dão conta do recado.